jogos eletrônicosSegundo uma pesquisa realizada pela empresa Newzoo, os campeonatos com esportes eletrônicos contam com mais de 145 milhões de jogadores pelo mundo, além de 192 milhões de pessoas que assistem a eles uma vez ou outra. Sendo assim, o que um dia pensamos que fosse só mais uma brincadeira de criança e adolescente se tornou um negócio.

O esporte eletrônico, também conhecido como e-Sport, nada mais são do que os jogos de videogame, só que em versão online. Alguns exemplos são: League of Legend (LOL), Counter-Strike e Heroes of the Storm. Suas características principais envolve a mecânica com que eles podem ser jogados, em forma de duelo ou equipe contra equipe. Partindo disso, nasceram os campeonatos, que estão espalhados pelo mundo e movimentam bastante dinheiro.

O crescimento dos jogos eletrônicos

Com a tecnologia cada vez se desenvolvendo mais, os gráficos dos jogos e a jogabilidade sempre melhoram a cada novo jogo da série ou a cada nova versão. Assim, é sempre uma espera ansiosa, por parte dos jogadores, pelo novo jogo. Pudemos ver isso com o lançamento tão esperado de 2018, o jogo God of War, que alcançou 3,1 milhões de cópias vendidas em apenas 3 dias.

Os números realmente nos mostram o quão promissor é este mercado. Em 2016, o time brasileiro Luminosity Gaming, de Counter-Strike: Global Offensive, conquistou o torneio mundial, obtendo como prêmio a quantia de US$ 500 mil. Para se ter uma comparação entre outros esportes, os semifinalistas do Roland Garros de 2016 receberam US$ 531 mil, ou seja, um valor muito próximo.

E para o ano de 2018, segundo a Newzoo, a indústria de e-Sports deve arrecadar mais de US$ 900 milhões, incluindo venda de ingressos, anúncios publicitários, patrocínio e licença de imagens. Já para 2020, a indústria deve crescer ainda mais, chegando a um valor arrecadado de US$ 1,4 bilhão. Com isso, podemos perceber que este é um bom lugar para se investir, e tanto empresas como pessoas podem participar dos investimentos.

Segundo Arnd Benninghoff, CEO da MTGx, empresa sueca de mídia e entretenimento, “os jogos devem se tornar uma das maiores formas de entretenimento no mundo”. A MTGx organiza eventos de e-Sports e, possui um canal exclusivo para o assunto.

jogos eletrônicos Leia mais: 10 Profissões que vão deixar de existir com o aprimoramento da inteligência artificial e da robótica

Como investir em jogos eletrônicos

Pode parecer incomum, mas muitas pessoas e empresas têm investido em jogos eletrônicos. Mas como elas fazem isso?

Há algumas formas de se investir no e-Sport, uma delas é financiar times de competidores. As equipes precisam de tempo e equipamento para treinar e participar das competições. E por outro lado é preciso ter dinheiro para pagar o equipamento, internet e itens de necessidade básica, como comida, moradia e internet. Assim, tanto empresas como pessoas físicas podem financiar as equipes para pagar essas despesas e em troca combinar um valor x do prêmio, se a equipe ganhar. Afinal, é difícil alguém trabalhar em período integral e ainda conseguir treinar para ser um excelente jogador.

Outra forma é organizar ou financiar eventos pequenos, para que os competidores que estão iniciando possam ganhar experiência para participar das grandes ligas.

Conheça algumas pessoas que já estão investindo em jogos eletrônicos

Algumas estrelas do esporte americano já estão investindo nos esportes eletrônicos, tais como Shaquille O’Neal (basquete), Alex Rodriguez (beisebol) e Jimmy Rollins (beisebol). Eles se juntaram para investir em um time especialista em League of Legends e Counter Strike: Go, que se chama NRF eSports. Até o Ronaldo Fenômeno, um dos jogadores que participou da equipe da seleção brasileira que ganhou o penta na Copa Mundial de Futebol de 2002, também está investindo em esportes eletrônicos. Ele comprou parte da equipe de eSport CNB.

Mas não é só os atletas que andam investindo em e-Sports, Wang Jianlin,o  homem mais rico da China, e Jeff Bezos, o fundador da Amazon, também pretendem investir.

Claro que essas pessoas possuem um poder aquisitivo maior, mas pessoas com poder aquisitivo menor também podem fazer investimentos por meio da compra de equipamentos para equipes ou em auxílio mensal.

A questão é que agora, ainda é um bom momento para se investir, já que o mercado ainda está crescendo. Pois, daqui uns anos o valor de investimento pode aumentar muito com o crescimento do mercado de e-Sports.

jogos eletrônicosLeia mais: Case Propel – quando a falta de visão impede que grandes empresas e startups cresçam

Motivos que levam o setor a continuar crescendo no Brasil

Apesar da crise econômica no Brasil, que afetou e continua afetando as vendas e o emprego por todo o país, o e-Sports mantém seu crescimento. Mesmo não tendo tanta atenção das mídias e nem do governo, o e-Sport é uma das promessas do país.

Mas como ele está indo na contramão do restante dos setores? Isso se deve a três motivos:

Preço dos jogos

Enquanto que os jogos físicos costumam ter valores acima de R$ 100, como é o caso do God of War 4, que está custando, em média, R$ 150, os valores dos jogos eletrônicos são mais em conta. Alguns jogos, como o Counter Strike Global Offensive está por R$ 30, isso porque os únicos custos costumam ser das skins (peles) dos personagens ou do jogo.

Audiência crescente

Nas transmissões dos jogos pelos canais digitais é possível ver o número de pessoas que estão assistindo. Assim, as marcas investidoras têm acesso e podem manter a parceria ou até melhorar a proposta. Isso acaba fomentando ainda mais o meio.

Exibição em canais digitais gratuitos

As partidas ou competições entre os jogadores podem ser transmitidas por canais gratuitos disponíveis na internet. Alguns desses canais são: Youtube Gaming, Twitch, Azubu, entre outros.

Como se pode ver, o e-Sports é um mercado promissor e o que se pensava antigamente, que os jogos de videogame eram só um passatempo, hoje tem pessoas vivendo desse passatempo. Então, o que acha de começar a investir em jogos eletrônicos?

Deixe nos comentários sua opinião sobre o assunto.