Quer ser um freelancer full time? Então precisa ficar atento a alguns pontos bem importantes.

Eles devem ajudá-lo a se organizar antes de largar o seu emprego e mergulhar de cabeça nesse novo momento da sua carreira.

Então, se essa é a sua intenção, fique ligado nesse artigo e aproveite as nossas dicas!

3 dicas que você precisa seguir antes de se tornar um freelancer full time

O freelancer que pretende trabalhar full time é aquele que realmente está disposto a largar tudo para se dedicar integralmente a essa função.

E por mais que algumas pessoas acreditem que é uma baita furada, na verdade existe muita gente que vive disso e que está muito bem, obrigada!

Para você ter uma ideia, em 2017, de uma amostra de 1.036 freelancers brasileiros, 43% deles atuavam full time e se dedicavam integralmente à atividade, contra 39,3% em horários livres e 17,7% em meio período.

Deles, 60% tinham uma outra fonte de renda contra 40% que ganhavam a vida apenas como freelas. Apesar do percentual ser menor, o número de pessoas que atuavam full time era com certeza bastante alto.

Talvez esses dados estejam relacionados com a crise e com o aumento do desemprego, que acabou deixando as pessoas sem muitas alternativas.

Ou pode ser que a onda das startups deu um ânimo em quem já queria trabalhar como freelancer e deixar de vez o emprego tradicional.

Seja como for, o fato é que tem muita gente atuando assim e cada vez mais o mercado está propenso a receber esse tipo de trabalho mais alternativo.

Mas é claro que antes de embarcar nessa você precisa se atentar a alguns pontos importantes para não entrar em uma furada, literalmente!

Quer saber quais são eles? Então vamos lá!

1 – Faça um planejamento financeiro

Não largue o trabalho do nada para ingressar na vida de freelancer full time.

Você precisa se planejar, guardar um dinheiro e fazer um planejamento de quanto precisará ter para pagar as suas despesas até que o seu negócio comece a dar lucro.

E por mais que fechar um job seja simples para você, até por conta da informalidade na contratação e dos preços atrativos praticados pelos freelas, talvez garanta pouquíssimos em um primeiro momento.

E até que esse dinheiro seja o suficiente para pagar as suas contas, você precisa se resguardar com uma boa reserva.

Mas será que vai mesmo conseguir um cliente logo de cara?

Talvez não!

Para facilitar, considere as despesas anuais e não as mensais na hora de realizar a conta.

Faça um levantamento de tudo que você gasta no ano e procure estar com esse dinheiro disponível antes de sair do emprego.

Assim você fica assegurado durante esse período sabendo que conseguirá arcar com todas as suas despesas até que o seu negócio ganhe mais corpo.

E não se esqueça de incluir os benefícios que recebe na empresa.

Algumas pessoas possuem assistência médica, vale refeição, auxílio combustível, entre outros que agora precisarão ser pagos do bolso.

A própria assistência médica não costuma ter um preço muito em conta. Então, na hora de fazer a planilha financeira, não se esqueça de incluir esses gastos.

Para conhecer outras dicas, clique aqui e leia o artigo Trabalho de freelancer: como conseguir dinheiro para iniciar?

2 – Saia do trabalho só quando tiver um cliente fixo

Essa é uma outra dica bem legal.

Se você simplesmente sair do trabalho sem ter um cliente, como vai ter certeza de que o seu negócio vai vingar?

É claro que existem muitas oportunidades no mercado para os freelancers e provavelmente o seu trabalho vai rolar, só que você precisa usar as estratégias certas para conseguir atingir o seu público.

E isso não acontece da noite pro dia.

Talvez você leve alguns meses para encontrar a melhor forma de chegar nos seus clientes potenciais e isso pode atrapalhar muito o seu planejamento financeiro.

Mas se sair do trabalho quando já tiver ao menos um cliente, esse processo fica bem mais simples, sabe por quê?

Primeiro porque você vai conseguir sentir as necessidades do cliente, que pode ir de encontro com as dos demais, as suas preferências, como está caminhando o seu mercado e as formas assertivas de prospecção. A prática é essencial para tudo isso!

Depois que tiver a sua primeira experiência, as chances de começar a entrar mais clientes são bem maiores.

Afinal, é esse primeiro que vai abrir as portas para os demais. Até porque você já vai ter um serviço para colocar no seu portfólio e pode até receber algumas indicações desse cliente.

Caso precise conciliar o freela com o emprego, clique aqui e leia o artigo Como conciliar o trabalho de freelancer com o seu emprego? Ele pode ajudar!

3 – Estruture o seu trabalho

Antes de colocar a mão na massa, você vai precisar estruturar muito bem o seu trabalho.

A dica é que faça esse planejamento considerando que precisará dedicar cerca de 40% do seu tempo para prospectar clientes, 50% para a realização dos jobs e 10% para os estudos e capacitações.

Para se diferenciar do seu concorrente, não basta ter um bom serviço, mas também oferecer diferenciais. É isso que o estudo vai proporcionar.

Com a capacitação você vai também entender as novas estratégias de mercado e as novidades em funcionalidades dentro da sua área.

E não, você não deve passar as suas 8, 9 ou 10 horas de trabalho diárias executando o serviço.

É essencial que foque em estratégias de marketing, que envie o seu portfólio para potenciais clientes, que esteja em grupos do Facebook do seu nicho, que esteja em plataformas para freelas e que faça campanhas no Google, caso necessário.

Isso mesmo! Você precisa de tempo para se dedicar à prospecção de clientes. Senão, como vai ser quando terminar um job? Teoricamente você precisa começar outro logo em seguida, certo?

Além disso, manter essa presença online pode te ajudar a fechar com clientes que viram o seu portfólio há algum tempo. Eles podem ligar 3, 6 ou 8 meses depois para fechar um trabalho. Então, fique atento!

Agora, com relação ao tempo que executará a tarefa, é essencial que foque nelas ao máximo para garantir as suas entregas com qualidade e dentro dos prazos.

Deixe de lado as redes sociais, o cochilo, a televisão e qualquer outra coisa que tire o seu foco.

Essas foram as dicas para quem quer trabalhar definitivamente como freelancer full time.

E você, já atua dessa forma? Então comente aqui!