Segue um trecho do meu TCC de Pós Graduação sobre empreendedorismo na Internet. Espero que gostem, pois acredito veemente que o termo e predicados de empreendedorismo deveriam ser ensinados nas escolas de ensino fundalmental, e talvez seja a falta dessa prática, um dos motivos da altas taxas de desemprego no país.

O resultado do despreparo de milhões de jovens que com um currículo debaixo do braço procuram emprego, a fim de alcançar estabilidade e segurança, sendo que a mesma poderia ser alcançada mais facilmente com criatividade, coragem, planejamento e dedicação.

Atualmente milhares de jovens e empresários de outros setores não ligados diretamente à Tecnologia da Informação abrem empreendimentos na Internet, a veem como uma ótima oportunidade de renda.

IDEA
Creative Commons License photo credit: mlinksva

Há aqueles, no entanto, que não aderem às novas tendências de mercado, seja por ignorância, falta de informação, indiferença ou comodismo.

Segundo Filipini (2010, p. 3):

…atualmente um milhão e meio de jovens são lançados no mercado a cada ano, boa parte deles para engrossar as estatísticas de desempregado, o IBGE afima que em 2005 mais de dois milhões de desempregados foram registrados, aproximadamente 10% da população do Brasil.

Essa realidade é confirmada pelo fato de que as escolas e universidades primariamente formam os jovens para serem empregados e não empreendedores, os pais aconselham os filhos a arrumarem uma emprego e não trabalho, querem que seus filhos tenham uma carteira assinada e décimo terceiro no final do ano, sem a noção de que o mercado exige muito mais.

Segundo Filipini (2010 p. 4):

Procure pensar sempre como empreendedor, ser dono de seu próprio destino e nunca abandonar um sonho por medo de se arriscar em um empreendimento. E mesmo que você trabalhe durante um tempo como empregado, em uma empresa, tente pensar nela como se fosse o dono. Na pior das hipóteses será um bom treino para quando isso realmente vier a ocorrer…

A melhor sugestão para o autor é a de profissionalizar-se, empacotar os conhecimentos adquiridos com competência e oferecer ao mercado na medida em que esses necessitar, seja por um serviço de consultoria, terceirização ou outro fator que gere valor para o mercado, muitas vezes um trabalho assim formulado além de trazer uma renda melhor como a de um empregado ainda proporciona mais benefícios como o de possuir mais tempo livre para passar com os filhos, fazer academia ou fazer novos cursos de aprimoramento.

Também outros autores afirmam que uma das melhores formas de aprender a ter seu próprio empreendimento é trabalhar para uma pessoa que já trabalha no ramo e que portanto já possui conhecimento e prática na área, Eker (2009, p. 53):

Então me perguntei: “Harv, qual é a melhor maneira de estudar um ramo de negócio?” E esse sujeito chamado Harv, que era evidentemente muito mais esperto do que eu, respondeu:

Se você quer conhecer um negócio a fundo entre nele. Ninguém tem a obrigação de saber tudo. Entre no corredo conseguindo um emprego na área. Você aprenderá mais varrendo o chão e lavando pratos num restaurante do que se passar 10 anos pesquisando do lado de fora.

(Eu não disse que ele era muito mais esperto do que eu?)

Ainda segundo Eker:

As pessoas ricas preferem ser remuneradas por seus resultados. As pessoas de mentalidade pobre preferem ser remuneradas pelo tempo que despendem.

São diversas as oportunidade de negócio atualmente na Internet, tal como abrir site de leilão, compra coletiva, serviços empresariais, aluguel de amigo, venda de produtos inusitados, artigos importados entre outros, se bem que quando um determinado negócio já se disseminou na Internet a ponto de poder haver cópia ou imitação a oportunidade de gerar altos lucros pode ser diminuída por perder a exclusividade.

Segundo Filipini, (2010. p. 5):

Aliado à questão da novidade da área está o fato de que ainda existem muitos nichos de mercado interessantes para serem explorados. Pequenos segmentos que, despercebidos ou ainda nào totalmente maduros, podem representar uma execelente oportunidade de negócios para um empreendedor com visão e mente aberta.

Aproximadamente 7 milhões de compradores on-line adquirem produtos e serviços mensalmente pela Internet, é válido lembrar que quando esse número de aproximar de 15 ou 20 milhões de compradores a Internet terá amadurecido tanto que os nichos apropriados de hoje nào serão mais atrativos, e novos, ainda mais acirrados e competitivos os substituirão, por isso o memento ideal de se investir, segundo alguns analistas, é agora.

Por: Fernando Finati