Há quatro anos lançávamos o episódio zero do @falafreela, podcast do Carreirasolo.org e a meia hora mais valiosa do seu dia. Acreditávamos que o formato em áudio possibilitaria alcançar a nossa comunidade de formas diferenciadas, assim como promover um outro nível de interação.

A proposta, desde sempre, era no lugar do humor fácil que virou formato-padrão da produção de conteúdo digital no Brasil, estimular, porque não, a formação contínua de uma categoria profissional que só faz crescer: a dos profissionais independentes, dos empreendedores de suas próprias carreiras.

É engraçado começar o post que marca o retorno oficial de todo o hub Carreirasolo.org  falando do Tempo, pois, como desdobramento da proposta e de nossa linha editorial, tínhamos a necessidade de ser atemporais. Cada episódio do @falafreela pode, e deve, ser ouvido a qualquer hora de sua vida, em qualquer momento de sua trajetória profissional. Todos os nossos 67 episódios são atuais e valiosos até hoje.

Pois, para o nosso retorno, queríamos agregar algum tipo de informação e repassar o conhecimento e experiência adquiridos na longa jornada do projeto de reconstrução do Carreirasolo.org. Foram pouco mais de oito meses onde a maior premissa era utilizar todos os recursos, tempo, conhecimento e talento acumulados em 15 anos de carreira em um único tiro certeiro.

Para conhecer esta história agora, é só dar o play ou fazer o download. No restante do post, você encontra os pontos chaves da experiência, referências utilizadas no projeto, algumas telas e demais detalhes da ficha técnica deste primeiro episódio, ou melhor, 67º.

Ao terminar de ouvir o FalaFreela#67, esperamos que você entenda…

O primeiro grande ensinamento, sem dúvida, foi o da importância de se ir até o fim, com todas as suas forças e conhecimento acumulado, rumo a um objetivo determinado. Nos dias que passam tão rápido neste século XXI que já vai para a sua segunda década, vivemos uma reconhecida crise de atenção em função da qual é raro poder manter o foco. E por isso mesmo, é mais valioso o trabalho gerado a partir deste tipo de comprometimento.

Outra grande constatação foi sobre o fluxo de projeto e seu registro em documentos ao mesmo tempo leves e de fácil consulta. Cada integrante registrou para o próximo os detalhes de sua entrega e instruções para o prosseguimento da tarefa.

O famoso doc com âncoras compartilhado com os integrantes da equipe do projeto

Ah, sim, nós não comentamos isso no programa mas, o único que conheci pessoalmente até agora foi o Felipe Pavão, em um rápido café dia desses. Todos os demais, embora tenha por eles amizades sinceras e que vão além do campo profissional por anos e anos, nunca me viram mais gordo!

Não posso deixar de mencionar, com devido louvor, a participação da Carol Rivello, não só pelo seu lado artístico, mas também com a metodologia acertada e o profissionalismo em suas entregas, sobretudo no manual de aplicação de marcas. Colegas designers: isso faz toda a diferença.

Sim, este nível de detalhamento para um rascunho…

Outro ensinamento de grande importância para o campo do design é o de cercar seu trabalho com metodologias de produtividade. Somos treinados a acreditar que a fagulha criativa e o processo final são quase que simultâneos ou, pior, auto-gerados. Isso não pode estar mais longe da verdade.

Meu amigo Cristiano Santos, palestrante do tema e autor das telas nas quais você navega pela nova solução do Carreirasolo.org, nos ensinou na teoria e na prática como turbinar seu talento criativo com produtividade extrema. Aliás, bom nome de programa para o History Channel: Produtividade Extrema, com Cristiano web.

Wireframes um pouco detalhados demais? Que nada. Só mudei de Steve, utilizando o Carrel já que o Jobs já foi…

Mais de 50 telas criadas em tempo recorde, graças ao…

…GTD do Cristiano Santos

Para concluir, Felipe Pavão, o engenheiro desta brincadeira toda, soube reinventar seu framework de desenvolvimento para as necessidades do projeto, elevando a plataforma WordPress a uma nova potência, poucas vezes vista em projetos nacionais. E isso não foi uma frase de efeito.

Felipe Pavão, o homem que enxerga a Matrix. Só podia ser flamen…digo vascaíno.

Gisa Almeida e seus concepts para a arte do episódio.

Fica aí o ensinamento que o artesão e as ferramentas não são “a mesma pessoa”, um faz uso da outra. E não a outra faz uso do um. Pegaram?

Se você ouviu os 60 minutos deste episódio especial e conseguiu reunir estes pontos, cumprimos a nossa missão. Caso contrário, este tema continua nos comentários abaixo e nos e-mails que vocês vão nos enviar. As dúvidas de nossos ouvintes viram posts! Aguardem!

Participaram deste episódio

Ficha técnica do FalaFreela#67

  • Arte da Capa: Gisa Almeida, que com este traço ao mesmo tempo hiperrealista e fantásico, vai assinar as capas da quarta temporada.
  • Gravado nos meses de maio e outubro de 2012. Não, não foi no Abbey Road nem no Tuff Gong.
  • Compõe a trilha: “A New Funky Generation”, Cafe Del Mar; “Moliendo”, “Lume, lume”, “Dusty Road” e “Hora cu strîgaturii”, Fanfare Ciocarlia (recomendo) e duas trilhas sonoras: Angels and Demons e Sherlock Holmes A Game of Shadows.

É isso. Daqui pra frente é com você.