Em um mundo onde crianças se alfabetizam com tablets e pessoas do outro lado do mundo criam livros colaborativos na internet, empresas andam na contramão de tudo isso, ainda tentando manter o controle da informação, como se ainda estivéssemos no século XX.

Estes e outros temas são discutidos por Cristiano Santos, Fábio Carvalho, Roney Belhassof e José Telmo, no mais recente episódio do 15 minutos de fama, um projeto que acontece na ferramenta Hangout, do Google+, e fica disponibilizado também no canal do Cristiano Santos, no YouTube.

Nesse episódio, José Telmo comentou sobre um aplicativo que tem um nome no mínimo polêmico para os brasileiros: o Rego (http://minim.in/2Od). O app oferece um serviço semelhante ao Foursquare, que permite a marcação de lugares visitados por meio de geolocalização, mas que, segundo a empresa, é totalmente privado. É isso mesmo. Ninguém poderá ver o seu Rego! #piadapronta

As pautas de Fábio Carvalho e Roney Belhassof trabalharam temas cada vez mais atuais: novas formas de aprendizado e educação colaborativa a distância. Roney falou sobre crianças etíopes que estão sendo alfabetizadas com a ajuda de tablets (http://minim.in/2Of). Já Fábio, falou sobre  um livro de histórias construído por um grupo de usuários do Google+, que editaram e publicaram suas histórias, criadas colaborativamente na ferramenta social do Google, em um livro (http://minim.in/2Oe).

A pauta mais pesada ficou a cargo do Cristiano Santos. Ele falou sobre o incidente com o suco Ades de maçã, que teve um lote contaminado por um produto nocivo aos consumidores http://minim.in/2NX). O designer criticou a lentidão da empresa fabricante do produto e o órgão regulamentador, que deveria também fiscalizar o problema. Esse é um assunto que daria um programa inteiro. Polêmico, informativo e divertido (especialmente, graças ao Roney), esse é o 15 minutos de fama. Confira.

Acesse a página do 15 minutos de fama no Google+ | Assista todos os episódios