Uma reflexão sobre como os empresários imaginam ser o trabalho de criação de layouts e como eles excluem erradamente o redator dos seus orçamentos.

Pois é, vocês devem estar pensando, ou o @cristianoweb está maluco e resgando notas de real, ou é um mega jabá descarado sobre a produtora de conteúdo do Mauro!

Não gente, não é nada disso, é um desabafo mesmo!

Vamos fazer de conta que eu não sou designer web, e que eu sou um pintor de paredes. Agora imaginem que uma família me contratou para pintar toda a sua casa. Eles querem dar um novo visual em todos os cômodos e trazer “novos ares” para o seu lar.

Nós acertamos o preço e início do trabalho e quando chega o dia, cadê as tintas? E então eu descubro que não tem! Ou melhor, tem, mas é a mesma que eles usaram da última vez!

Como assim, a mesma tinta?

“É que nós só temos essa. Tem como você misturar um pouco as cores para criar novos padrões?”
Tem, mas… acho não vai dar um efeito muito inovador.

“Ah, mas é que nós gostamos tanto dessa tinta!”
Sim, eu entendo, mas é que não vai ser muito diferente da que está atualmente.

“É mesmo? Pensamos que você podia dar um jeito nisso? Você não é pintor?”
Sou pintor sim, mas é que sem tintas novas, acho que tudo vai ficar praticamente do mesmo jeito.

“Não! Você é talentoso, nós vimos outros trabalhos seus. Tem como você fazer igual daquela casa da fulana?”
Mas cor da casa dela é lilás, a tinta que está aqui é creme!!!

“Ué, pensei que você mais criativo”
Mas sem tintas não há como!

Esse papo de maluco é mais comum por aqui do que vocês imaginam.
Eu fiz essa metáfora para vocês entenderem como muitos empreendedores acham que é o trabalho de criar sites. Para eles basta contratar um designer que tudo está resolvido.

Não,
sites é MUITO mais do que isso!

Site é comunicação!

Site é interação com o público.

Ok, mas e o redator?

Antes vamos esclarecer uma coisa. Existem muitas nomenclaturas, metodologias, tipos de trabalho e formatos de equipe no mercado. Mas, independente do nome, o que importa é que um projeto precisa ter alguém responsável pelo conteúdo e pela comunicação do site. É esse profissional quem vai conversar com o público através da interface.

Essa conversa pode ser formal, engajada, curta, informativa, questionadora, reflexiva… Tudo vai depender do tipo de usuário que se quer atingir. Mesmo sabendo que existem inúmeros tipos, todo projeto tem um foco a ser atingido. E é baseado nesse usuário é que a comunicação precisa ser planejada e executada.

O trabalho do responsável por criar essa comunicação é transformar os objetivos do ‘briefing‘ dessa empresa / produto / serviço, numa conversa com o usuário / público / consumidor. Ou como o Mauro costuma dizer, o seu trabalho é “contar uma boa história“.

seu-site-precisa-de-um-novo-layout-nao-me-contrate-chame-um-redator-001

 

Não pense que por mais formal que a sua empresa seja, de que ela não conta uma história para o usuário quando tenta vender um serviço. O tom pode ser sério e não parecer uma conversa, mas no fundo é isso.

E onde entra o seu trabalho de designer?

O meu trabalho é transformar essa conversa numa solução visual.
Se o tom da comunicação é formal, o layout precisar ter esse formato.
Se a conversa é engajada, o layout precisa transmitir esse sentimento.
Se o papo é curto, o layout não pode ser longo né?

E assim funcionam com todos os tipos de conversa.

seu-site-precisa-de-um-novo-layout-nao-me-contrate-chame-um-redator-002

 

Um layout realmente eficiente, transparece uma boa sinergia entre esses profissionais. A conversa dá o tom e o design acompanha. O resultado é uma interface que funciona para o usuário, que em geral, nem percebe quando uma coisa começa e a outra termina. É o que chamamos de “design invisível“, papel fundamental para um bom uso de qualquer layout, e isso certamente não é função apenas do designer web. Pense nisso!

Conclusão: pense em comunicação e não em layout!

E aí, dá próxima vez que você pensar em “reformar” o seu site, vai deixar de fora do orçamento um bom redator web, vai continuar usando essas tintas velhas aí, ou vai pensar realmente diferente dessa vez?