[Não se preocupe, esse artigo não contém ‘spoilers’, pode ler tranquilo]

Todo mundo sabe da dificuldade que é trabalhar em equipe. Tanto que nós já falamos desse tema por aqui diversas vezes. Ruído na informação, falta de planejamento centrado no usuário, egos inflados e tantas outras situações que só atrapalham os projetos e que acabam nos fazendo entregar algo que pode não ser tão focado em quem vai consumir o produto final.

Por causa disso, eu estou sempre em busca de referências que me façam pensar mais no processo com foco cada vez mais voltado ao usuário. Leio tudo que fala sobre o assunto, participo de debates, tudo para manter o espírito de equipe sempre elevado. Eu já até palestrei sobre isso uma ou duas vezes sobre como criar layouts pensando no front e back-end.

Mas vamos ao tema desse artigo. Para quem não conhece, Downtown Abbey é uma série britânica do canal ITV e conta sobre a vida dos Crawley, uma família aristocrática que vive uma propriedade em Yorkshire chamada Downton Abbey. A trama passa no começo do século XX, 1912 para ser mais exato, durante o Reinado de Jorge V, e conta a vida dos ilustres moradores e empregados da mansão.

Série Downton Abbey

Série Downton Abbey

A série é extremamente bem escrita e conta os dramas pessoais dos Crawley que estão sempre envolvidos nos inúmeros jantares que promovem, para manter fortes laços de relacionamento entre as famílias, investidores ou influenciadores. Tudo em Downton Abbey passa por esses jantares. Temos episódios sobre os possíveis pretendentes à maridos de uma das filhas do casal, o Conde e a Condessa de Grantham, que precisam deixar herdeiros para a perpetuação da herança de família; também temos jantares beneficentes na época da Primeira Guerra Mundial, entre outros.

A questão é que esses jantes seguem uma etiqueta complexa e muito rígida, exigindo alto grau de planejamento, padronização e execução. Somente uma equipe especializada e muito bem treinada é capaz de entregar um produto de tamanha sofisticação. Por isso o estresse é altíssimo nos bastidores da casa e a trama ganha uma narrativa bastante rica em todos os sentidos (desculpem o trocadilho, não pude evitar!).

Um dos inúmeros jantares em Downton Abbey

Um dos inúmeros jantares em Downton Abbey

Mas e a equipe @cristianoweb?

A equipe é dividida numa hierarquia bem sólida e rígida e possui empregados em vários níveis de funções. Lembrem-se que estamos falando do começo do Século XX e acompanhamos a evolução tecnológica na série como o surgimento da energia elétrica, telefone, carros de motor a explosão entre outras.

Só para vocês terem uma ideia, os moradores não se vestem sozinhos. Todos possuem seus valetes e criadas particulares, que não só os ajudam a se vestirem em todas as ocasiões, como também cuidam das suas roupas. Lavando, passando, costurando, fazendo pequenos reparos.

Tudo começa pelo mordomo Mr. Carson que é a ‘interface’ dos donos da casa com o restante dos empregados. Ele é o chefe. Sua presença junto aos moradores é constante, e ele é um dos pouquíssimos que tem interação com a família.

E qual é a relação desses empregados com uma equipe de projeto web?

Toda!
Fiz essa mega introdução para deixar claro como é fundamental uma sinergia entre os membros de uma equipe web. O foco de tudo tem que ser o usuário e o produto a ser entregue. Percebam que na série, o foco é o bem-estar da família e seus convidados. Eles são os usuários! Já os jantares são o produto. Se ele não atingir o propósito da família, todo esse esforço será em vão!

Lady Sybil, Edith e Mary Crawley

Lady Sybil, Edith e Mary Crawley

Vamos exemplificar com uma passagem da série:

Lady Mary é a filha mais velha dos Crawley. Ela é pela ordem, possivelmente a primeira a se casar. Surge então um primo de terceiro grau do Conde de Grantham, o Matthew Crawley. Ele e sua mãe são convidados para um jantar na mansão para se aproximarem da família e serem introduzido ao tema de se casar com a Lady Mary. Tudo é feito nas entrelinhas e nunca dito diretamente. Por isso o clima é sempre tenso, aí é que o jantar tem o papel da fazer essa aproximação.

O briefing do jantar é simples: mostrar sofisticação sem deixar de ser intimista, afinal é um jantar entre familiares. Esse briefing é de conhecimento de todos os empregados que se esforçam para criar um produto que atenda esse objetivo. Um resultado fora dessa meta pode arruinar esse ‘investimento’ e trazer a ruína para esse possível envolvimento amoroso.

Ok, mas como funciona essa relação entre as equipes?

Para facilitar o entendimento de vocês, vou criar uma analogia simples entre as funções dos empregados da série com atividades que profissionais desempenham em projetos web. Vamos lá:

que-tal-contratar-os-criados-de-downton-abbey-para-o-seu-projeto-web-004Robert Crawley, Conde de Grantham

Personagem principal da série, ele é o dono da mansão e patriarca atual da família. Ele começa a série às voltas para conseguir um partido para cada uma das suas três filhas e dar continuidade do legado da família Crawley.

Num projeto web ele seria o cliente, que contrata uma equipe para atingir um determinado objetivo.

que-tal-contratar-os-criados-de-downton-abbey-para-o-seu-projeto-web-005Charles Carson, o mordomo

Mr. Carson é responsável por fazer com que todos empregados da casa sirvam corretamente aos desejos e necessidades da família.

Ele não só é responsável por fazer esse meio de campo entre os Crawley e os funcionários, como também aos convidados que tanto comparecem aos jantares, como os que eventualmente se hospedam na casa por períodos curtos ou longos.

Mr. Carson certamente é o gerente de projeto ou mesmo um planner, que contrata, treina, lidera e gerencia a equipe de funcionários.

que-tal-contratar-os-criados-de-downton-abbey-para-o-seu-projeto-web-006Cora Crawley, Condessa de Grantham

Apesar dela ser a patroa da mansão, Cora tem uma função muito peculiar na família. Ela é quem cuida dos detalhes de tudo que o seu marido pensa. Ela é quem lida diretamente com as filhas em cada situação específica.

Num ambiente corporativo, Cora seria a redatora, criando a interação entre a intenção do cliente com público através da comunicação.

que-tal-contratar-os-criados-de-downton-abbey-para-o-seu-projeto-web-007Elsie Hughes, governanta

Se a Condessa de Grantham faz a comunicação entre as partes, cabe à Ms. Hughes executá-las de forma fluida.

Seu papel é dar a interface dos produtos algo tangível para o público. Ela com certeza é a designer da equipe.

que-tal-contratar-os-criados-de-downton-abbey-para-o-seu-projeto-web-008Beryl Patmore, cozinheira

Ms. Patmore é quem efetivamente ‘coloca a mão na massa’ (não resisti de novo!).

Responsável por tudo que é consumido nos jantares da família, se assemelhando e muito com um desenvolvedor web que codifica como back-end e entrega o produto final para a família.

que-tal-contratar-os-criados-de-downton-abbey-para-o-seu-projeto-web-009Thomas Barrow, lacaio

Assim como a Ms. Patmore que prepara a comida, Mr. Barrow serve à mesa.

Sua função é semelhante a de um desenvolvedor front-end que entrega o código mais próximo ao usuário.

E aí, o jantar estava bom?

Uma foto nos bastidores da série

Uma foto nos bastidores da série

Seja acompanhando a série ou fazendo parte de uma equipe de um projeto web, fica claro que todos os membros precisam estar envolvidos com o briefing. Todos precisam saber que a sua função faz parte de um todo e precisa contribuir de forma efetiva para que os objetivos sejam atingidos.

Selfie dos atores de Downton Abbey com Geoge Clooney que vistou o set

Selfie dos atores de Downton Abbey com Geoge Clooney que vistou o set

A diferença é que em Downton Abbey a hierarquia jamais permitira que um criado opinasse em como melhorar a ‘performace’ da equipe mudando os processos. O que é bom, isso significa que nossos projetos podem ser melhores, sempre, uma vez que quanto maior a colaboração, maior a chance de entregar algo mais acertado.

Tim-tim e até o próximo artigo!

😉