Anuncie produtos, venda suas criações e compartilhe conteúdo relevante na FreelaStore. Veja como participar.

Quanto ganha um escritor?

por Carolina Vigna

Você tem talento, disciplina e até mesmo uma editora querendo publicar seu original.

Você tem talento, disciplina e até mesmo uma editora querendo publicar seu original. Mas aí, pinta a dúvida: afinal, quanto eu vou ganhar com isso? As respostas que se seguem são os casos mais comuns, a partir da minha experiência, mas na verdade as editoras estão livres para outras negociações. Então vamos lá entender quanto ganha um escritor:

  • Critério: na maioria dos casos é percentual de direito autoral, que costuma ser entre 8 e 10% do preço de capa do exemplar vendido.
  • Vendagem: cada livraria fecha de um jeito e em uma data. As editoras normalmente disponibilizam as planilhas de contabilidade para os autores só uma vez no semestre ou no máximo no trimestre, justamente porque tem livrarias que fecham trimestralmente, por exemplo, então para não ficar incompreensível, muitas editoras optam por mostrar o balancete para o autor também com uma periodicidade baixa.
  • Tempo de repasse: novamente, na maioria das vezes, ok? Normalmente as editoras adiantam uma quantia a combinar para o autor, antes das vendas e vão descontando desta quantia os livros vendidos. O autor só torna a receber quando e se ultrapassar aquela quantia já recebida em direitos autorais (ítem 1). Algumas editoras muito pequenas e sem fluxo de caixa para isso, pagam o autor nas suas datas de fechamento, normalmente de 3 em 3 meses.
  • Exemplares de autor: isso varia muito, principalmente do tipo de livro que vc escreveu. Livros didáticos normalmente recebem 10 exemplares, ficção costuma receber um pouco mais, em torno de 30, mas isso você pode conversar com o seu editor. Se a quantia que você precisa for maior do que a editora pode lhe dar, vc pode sempre comprar os seus livros com o preço de autor (com um desconto em torno de 60% do preço de capa).
  • Tiragem: sim, as edições sempre tem uma quantidade de exemplares determinada e isto é sempre colocado muito claramente e muitas vezes consta até mesmo do seu contrato. Você fica sabendo exatamente quantos exemplares rodaram em gráfica, quantos foram para imprensa, quantos foram para livraria, etc. Isto tudo é feito de forma muito transparente e às vezes o editor pede para você assinar junto com ele os exemplares de cortesia do editor (jornalistas, etc).

Vale lembrar que…

Esses são detalhes técnicos que em nada devem impedir sua vontade de publicar ou doutrinar seu talento e disposição para compartilhar suas idéias, certo? E por falar em idéias, depois dá uma lida nos posts que temos sobre o Mercado Editorial!

Venha para a turma do @falafreela

Antes de ir, queria fazer um convite: ouça o nosso podcast. Respondemos dúvidas e debatemos assuntos bem legais, todas as segundas-feiras. É só dar um PLAY aí embaixo e ouvir!

Carolina Vigna

Carolina Vigna

Editora, designer e ilustradora. É também amante de animação e fotografia.

Portfolio RSS E-mail (Leia mais artigos desse autor)


106 Responses to “Quanto ganha um escritor?”

  1. João says:

    Eu não perco mais meu tempo tentando publicar meus textos de humor e poesias. Já tentei e não consegui centenas de vezes. Só apdrinhados conseguem. Gostaria até de ter nascido sem interesse literário nenhum. Aqui no Brasil ser escritor de ficção, mesmo bom, é um péssimo negócio. Se alguém gosta de escrever, que seja então jornalista ou redator publicitário, mesmo que tais profissões não deem a menor satisfação artística.

  2. Edmilson says:

    Obrigado! Me tirou grandes dúvidas, vou ler o resto dos posts sobre o tema, vou reescrever pelomenos um dos dois livros que escrevi uns 50% e infelizmente perdi por não fazer backup, uma boa dica para os escritores, façam backups constantes! Seus textos me ajudarão bastante a nortear meus projetos

    • Edmilson,
      Fico feliz. Aproveito para te dar outra dica: use ferramentas "cloud", como o Google Docs. Desta forma, vc consegue acesso aos seus textos de qualquer lugar, além de ser uma boa forma de fazer backup. :)

    • C T says:

      mas menino,como que vc não fez nenhuma cópia em pen drive,cartão SD alguma coisa assim…? Hj em dia tem até o Sky Drive para esses fins…

      Me lembrou agora a história da Nina de Avenida Brasil,que por nao ter feito cópias de seguranças das fotos da Carminha em pleno 2012,acabou se lascando…hehehe

  3. ednilson neris says:

    olá eu me chamo Ednilson e gostaria de comentar que eu estou pra terminar um livro que eu estou escrevendo e eu estou sem verba(dinheiro) como eu faço para ter um patrocinio e meu livro seje publicado?

    é meu primeiro livro e muitos amigos e colegas meus que ja leram o resumo choraram de emoção e falaram pra mim que prendeu a atençao deles e que eles nao conseguiam mais parar de ler e estao até hoje ansiosos para ver meu trabalho completo!
    por faver aguardo respostas!!!
    obrigado.

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Ednilson,
      Conheço muito pouco — infelizmente — do processo de patrocínio. Todas as minhas tentativas nesta área falharam vergonhosamente. Existem produtores culturais para isso, mas normalmente te cobram ou uma taxa fixa ou um percentual em cima do projeto. A minha experiência (que, como já disse, não é boa) é de que é um processo demorado.
      A minha sugestão é tentar os editais que existem (os melhores são Sesc e Petrobrás).
      Boa sorte!
      Abs

  4. Ota says:

    Esse lance de 5 a 8% é praticado por editoras picaretas. O certo seria o autor receber 10% do preço de capa, como praticam todas as editoras grandes (Record, Ediouro, Leya etc) e como vem sendo feito há séculos desde que a indústria do livro existe.
    Alguns autores, como Paulo Coelho e os herdeiros de Jorge Amado recebem beeem mais do que isso.
    Entretanto, alguns autores desavisados se deixaram iludir pela choradeira dos editores picaretas e aceitaram percentuais abaixo disso, e se criou um precedente que está virando prática nessas editoras-espeluncas. Como a vontade de ter o livro publicado é maior do que a de receber por isso, autores iniciantes caem como patinhos nessa esparrela.
    Algumas editoras inclusive propõem pagar os direitos autorais em livros, dando 10% da tiragem (ex. tiragem de 2 mil, 200 exemplares vão pro autor e fica tudo quitado). Isso é outra roubalheira, já que o autor tem direito de comprar os livros com 50% de desconto, logo o justo seria — se fosse receber em livros — 20% da tiragem, e não 10%.
    As editoras choram dizendo que têm prejuízo mas elas calculam quanto precisam receber para ressarcir os custos a curto prazo graças aos esquemas de distribuição que já têm e dali pra frente tudo é lucro. O mjultiplicador de livro é 6 ou 7. Ou seja. Soma-se todos os custos do livro (gráfica, diagramação, revisão etc) e se multiplica por esses fatores para ter o preço de capa.
    A distribuição come em torno de 50% então com os 50% médios que entram para as editoras eles se ressarcem dos custos gráficos, impostos etc. Algumas grandes redes de livrarias forçam um desconto maior (de 60 a 70%) porém compram grandes quantidades e não é mau negócio para a editora,que já sai com parte da tiragem paga. No final o editor lucra de 5 a 10% sobre o preço de capa. O que não é mau, pois uma editora publica vários livros e ganha um pouquinho em cada um.
    É mesquinharia oferecer menos de 10% ao autor porque, em temros absolutos a diferença é desprezivel e faz mais falta ao bolso do autor que do editor.
    Vamos simular um livro hipotético, tiragem de 2.000 exs, preço de capa R$ 20, sendo R$ 2 de direito autoral. Na remota hipótese de vender tudo, o autor ganha R$2 x 2.000= R$ 4.000, o que convenhamos é pouco para o trabalho de criar uma obra. E isso vem picado ao longo dos anos. Mas, se vender a tiragem toda, o editor teve um bom lucro.
    Entretanto, vamos supor que dos 2 mil exs sejam vendidos só 500 e o livro fique "parado" no estoque da editora. Nesse caso, recebendo 10% o autor receberia R$ 1000,00. Negociando um percentual menor a diferença vai para o bolso do editor, com isso ele janta num restaurante caro ou faz um agrado para suas amantes. Roubando 200 ou 500 de cada autor no final dá pra comprar um carro ou outro bem.

    Evidentemente nem sempre o editor se dá bem. Alguns livros são encalhe puro e, sim, o editor perde dinheiro — mas isso são os riscos do ofício. Porque na média as editoras prosperam.

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Ota,

      Não sei onde você leu 5%, mas ok, vamos lá…

      Nem sempre é picaretagem. Sei de casos em que a editora faz acordos com autores de que o primeiro livro é 8%, o segundo é 9% e do terceiro em diante é 10%. São casos específicos, é claro, em que a editora quer investir naquele autor, mas existem e merecem ser respeitados.

      O Carreira Solo se destina a um público que ainda não tem o nome do Paulo Coelho ou do Jorge Amado. Assim como em qualquer mercado, quando o profissional atinge uma notoriedade como esta, consegue negociações melhores. Garanto que o Einstein não ganhava a mesma hora-aula que seus colegas de Princeton.

      Pagar direito autoral em mercadoria é roubalheira sim, neste ponto estou contigo e não abro.

      Agora, quanto ao "na média as editoras prosperam" não é bem verdade. É uma briga dura, é uma atividade de risco. Não vou ficar aqui dizendo ó coitadinho do editor, mas também não concordo em demonizá-lo.

      Abs

    • C T says:

      Falou tudo!

      Picaretagem mesmo!! 10% já é um deboche com a cara do autor,que perdeu meses e meses escrevendo q nem um condenado.Como vc mesmo disse: "um livro hipotético, tiragem de 2.000 exs, preço de capa R$ 20, sendo R$ 2 de direito autoral. Na remota hipótese de vender tudo, o autor ganha R$2 x 2.000= R$ 4.000, o que convenhamos é pouco para o trabalho de criar uma obra." é MUITO POUCO mesmo! Nem professor ganha essa miséria!!

  5. Kellyane says:

    Eu comecei a escrever um livro mais não sei como publicar o q eu faço?

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Kellyane,
      Aqui no Carreira Solo existem vários artigos a este respeito. O tema é complexo e amplo. Se, após a leitura destes artigos, ainda tiver dúvidas, teremos prazer em tentar lhe ajudar.
      Abs

  6. jose ribeiro says:

    Srs. proprietárias da (s) Livrarias(s).
    Tenho editado já o 2o livro "Quem Sou Eu", em 12 de dezembro de 2011 e estou sim interessado em colocar no mercado para que possam adquirir a obra realizada.
    Qual em primeiro lugar o meu procedimento para que possa interagir com os senhores. Obrigado e estou a sua espera jose.

  7. alex says:

    estou escrevendo um livro com o titulo os dois ladrões
    obra que fala da vida dos dois ladroes que morreu na cruz da sua infancia a morte na cruz falo de barrabas também e de jesus
    previsto pra terminar dia29 agora
    tenho ouvido de alguns amigos que leram que pode ser um um bom livro fica uma duvida
    eu ponho na maõ de editora e ganho menos em direitos ou eu mesmo distribuo com meus recursos ja que eu acho que pode ser um bom lançamento por favor me deem uma opinião obrigado alex

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Alex, "eu mesmo distribuo" é uma fantasia a respeito de como o mercado funciona. Distribuir, mesmo para as editoras grandes, é difícil, árduo e caro. E publicar em uma editora grande também não é garantia de boa distribuição… Publique como puder, mas pense a longo prazo. Se você quer publicar livro para ficar rico, lamento, o caminho não é muito fácil.
      abs

  8. Ana Carla says:

    Oi Carolina,

    Gostaria de escrever a biografia de uma pessoa caso consiga a autorização. Como fica o direito autoral neste caso. A pessoa biografada também ganha com as vendas, caso positivo como se estabelece a relação de pagamento entre esta pessoa, o escritor e a editora? Desde já agradeço pela atenção.

    Ana Carla.

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Não, a autoria é de quem escreve. Apenas vc recebe. O lucro da pessoa biografada é indireto, através da imagem e mídia gratuita.
      Abs

  9. janaina moura says:

    Olá carolina,eu escrevo desde de que tinha seis anos de idade pra mim é uma coisa natural como respirar ,e eu não seria feli z fazendo outra coisa,estou terminando meu primeiro Romance e estou com muito medo.Queria fazer bacharelado editorial ,pois ai eu trabalharia no ramo de livros e poderia aperfeiçoar meu romance ser editor da lucro? como faço para chegara lá da muito trabalho? trabalhar em editora da lucro? mts bjs e desde de já obrigada.

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Olha, Janaina, vou te responder da maneira mais sincera possível: se você está pensando em lucro, está no mercado errado. Tanto autor quanto editor são profissões de alto risco e, na esmagadora maioria, com prejuízo. Sorry.

  10. Felipe says:

    Duvida:

    O autor paga alguma taxa na editora para publicar o livro.

    Em questão qual foi a sua lucratividade com os seus livros?

    • Carolina Vigna-Marú says:

      Não entendi sua pergunta.

      Se vc está perguntando se o autor sempre paga para publicar, a resposta é não. Aliás, o que é considerado como "tradicional", "normal", etc, é não pagar. O pagar chama-se auto-publicação.

      Sobre a lucratividade, você está querendo saber o quanto ganha um autor que paga para publicar, é isso? Depende do acordo financeiro que fizer com a editora. Eu nunca trabalhei com auto-publicação e não saberia explicar melhor, infelizmente.

      Abs

  11. Déborah says:

    Olá Carolina, parabéns pelo site, ótimas dicas!!

    Me tira uma dúvida por favor? Eu escrevi um artigocom outra pessoa para um livro em homenagem a um professor, sendo que nesse livro só terão artigos escritos por outros mestres da área. Neste caso tbm seriam os mesmos 10% para os autores? Sendo ainda esta percentagem dividida pelo número de autores que tiverem no livro? Vixi… rs SE for isso já vi que não vai dar nada…rs Desde já agradeço a atenção!

  12. Adorei seu site Carolina. Assinei um contrato com uma editora e nesse contrato recebo 5 livros e 10% de do preço de capa. Não terei de arcar com nenhum custo , tudo ficará por conta da editora. Acha que fiz um bom negócio?
    Obrigada pela atenção.

  13. Anna Cláudia says:

    Boa Noite Carolina,

    Sou Nutricionista e estou querendo publicar um livro de receitas especiais, um livro explicativo e funcional, e com fotografias tbm, mas pequenas, seria então eu e mais duas amigas, lendo os posts anteriores, 10% que seria pro escritor não seria muito pouco para 3 autores? quanto você acha que um livro assim custaria? e será que consegue tem uma ótima venda?

    Você conhece alguma editora que adote livros dessa maneira?

    Desde já agradeço.

    Abraços,

  14. Amanda says:

    Olá! Tenho 13 anos e amo escrever, mas, meus pais são contra "essa de de literatura". Eles dizem que as pessoas não se importam mais com a literatura, imagina futuramente, mas, eu vou seguir o meu grande que é ser escritora, sempre sonhei.
    Beijos! Está tudo ótimo! Parabéns!

  15. Gilton says:

    Olá Caroline, como vai ? Sou autor já com vários livros editados, alias, por editoras diferentes, e devo dizer que principalmente no Brasil é difícil ser escritor. A conclusão que chego, é que um autor brasileiro, para ter sucesso precisa dispor de dinheiro para investir nê-le mesmo . Digo , a priori, que o autor deve, antes de mais nada, registrar-se como editor, lançar ele mesmo seus livros, e divulga-los por conta e risco de sí próprio. É um risco de capital, pois os lucros pelas edições vão depender exclusivamente da aceitação dos livros que foram, publicados. Pensar que as editoras ganham muito dinheiro com as publicações é balela, pois nas publicações implicam muito dinheiro; gáfica, autor, ilustrador, papeis , e principalmente distribuidoras que na maioria levam 50 por cento por capa. O melhor mesmo é escrever como hobbi, e quanto aos lucros o melhor mesmo é contar com as consequências, como também contar com a satisfação do ego ao se tornar conhecido, assim como eu , por exemplo. GIlton s. Santos

  16. Danton Renato says:

    Por que será que a gente vê escritores ingleses e americanos ricos mas nunca se viu um escritor brasileiro rico?
    Por que será que a gente vê tanta porcaria publicada e encalhada nas livrarias – enquanto livros bons são rejeitados pelos editores?
    Coisa de louco.

  17. Fabio Shiva says:

    Oi Carolina!
    Valeu demais por compartilhar seu conhecimento de forma tão generosa e clara!
    Sou muito grato!
    Conte com nosso espaço, está a seu dispor! http://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com….
    tudo de bom e muita inspiração!
    Fabio

  18. Fabio Shiva says:

    Oi Carolina!
    Valeu demais por compartilhar seu conhecimento de forma tão generosa e clara!
    Sou muito grato!
    Conte com nosso espaço, está a seu dispor! http://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com….
    tudo de bom e muita inspiração!
    Fabio

  19. Marcelo says:

    Olá Carolina, tomei conhecimento do site por acaso, gostei dos vários esclarecimentos. Ai, vai o meu. Tenho um projeto de ficção sendo remodelado e um livro paradidático de educação ambiental para o público infantil todo desenhado com textos claro sei que são gêneros diferentes e como estou quase lá a confiança no que acredito está nas nuvens. Minha dúvida é em relação as editoras por demanda ou seja, auto publicação: cito como exemplo a editora Baraúna. Paga-se por todos os serviços entretanto, o direito autoral me retorna em 30% da capa. A editora faz tudo, vende, imprime e divulga contrato de 2 anos. Não há impedimento de publicar numa editora comercial. Existem aquelas que não cobram para publicar Ex: a books com retorno 50% para o autor. Agora isso você fazendo tudo . Caso necessite de serviços profissionais ai requer orçamento. Será mesmo que é uma boa opção para se aventurar? Vale mesmo editar no sistema de demanda? Penso também em procurar uma gráfica para transformar em realidade o infantil. Pode me dar alguma luz?

  20. Leonarda says:

    Parabéns pelo site . Vc é muito muito atenciosa.
    Tem o meu respeito !
    A propósito, quem avalia o preço da obra ?

  21. sleepingjulia says:

    Bom dia,Bom dia,
    Tentei mandar um e-mail, mas não consegui encontrar o endereço do site! Vou mandar minha perguntar, então, por aqui. Um editor de uma Editora relativamente conhecida aqui no NE entrou em contato comigo, perguntando se eu possuía alguma história infantil para submeter para a análise deles. Ele pediu que eu informasse uma proposta de valor para a história para negociá-la. Eu tenho uma história aqui, mas não sei bem como delimitar um valor para a história. Eu já havia publicado um livro por outra editora em 2011 e, à época, meus direitos autorais foram vendidos por R$1000,00. Por ter sido o meu único livro, eu estava totalmente fora do mercado, mas, hoje em dia, não sei se vendi meus direitos autorais por valor muito baixo. Queria alguns conselhos! Att. Julia

  22. […] Quanto ganha um escritor (6.417 visitas) […]

  23. Ben Oliveira says:

    Gostei bastante do texto! Esclareceu algumas dúvidas que eu tinha.
    Até o momento só participei de coletâneas, e não tinha noção de um contrato para romances ou qualquer outro livro individual.
    Abraços

Leave a Reply

Direto do @falafreela

Editores no Twitter