Hoje é muito fácil encontrar por aí, manuais (e blogs) com tendências de moda. Conseguir dicas para ser descolado e estar “por dentro das tendências”, como se diz. Mas, onde ficam a individualidade e estilo próprio? Ainda há espaço para isso? Hoje o papo é sobre estilo pessoal e não sobre ser escravizado e – ainda por cima!-, parcelar essa servidão em 10 vezes no cartão!

terno-xadrez

Além da “modinha”

Estar na moda é bacana, mas não devemos ser escravos dela. Ponto. Todos nós temos corpos diferentes, coisas que queremos disfarçar e nem sempre o que está em alta no momento contribui para isso. Por isso, é preciso aprender a usar a moda a seu favor, avaliando se aquela peça valoriza seu corpo, se você se sente confortável com ela, e se faz o seu estilo.

Não tem nada de errado em ter seu estilo próprio, ok? Imagine se todas pessoas gostassem de amarelo seria chato, não acha? É por isso que devemos vestir apenas aquilo que nós gostamos e que nos valorizam.

Reconhecimento e aceitação: sempre caem bem

Partindo do princípio que todos temos nossas limitações, comece pensando em como dribrá-las, certo? Então, se você tem uns quilinhos a mais, nada de ficar sem comer para caber naquela calça justíssima que virou febre do momento só porque a sua amiga está usando.

Não importa se você é mais baixinha, gordinha, tem pernas muito finas ou quadril largos; ou se você detesta usar barba mas se vê pressionado a fazer isso porque até cera importada seus amigos estão usando para deixar o  desenho da barbicha mais uniforme. Todo mundo tem peças e tendências que irão nos valorizar. Basta procurar.

Gosto Pessoal e consumo consciente

Sabe aquela calça que você comprou na estação passada e já não está mais na moda mas você ama? Vale analisar o ponto anterior e se perguntar se você se sente confortável com ela, se a peça valoriza seus contornos e, claro, se está em bom estado. Se a roupa passar por esses crivos todos, não há nenhum motivo para você não usá-la. O seu bolso e a natureza agradecem.

Tem isso também, né? É sempre bom pensar em consumo consciente em comprar menos e usar mais! Por isso, mesmo pra quem gosta de seguir as tendências de moda é sempre boa a dica que diz para você comprar peças chaves que você possa combinar com outras que você já possui e usar por um bom tempo. Acredite: é melhor ter poucas e boas peças, do que muitas ocupando espaço e que você nem lembra que tem.

Então era isso. A dica principal que queríamos deixar é: use a moda a seu favor, sempre mantendo seu estilo e sendo consciente nas escolhas. Moda foi feita para nos guiar, não para ditar regras.

Concorda, discorda, muito pelo contrário? Comente!