Previously on Carreirasolo.org: Vimos como é importante começar a pensar na sua marca pessoal de forma mais abrangente. O que quer dizer, mais ou menos, que você começou a entender que não precisa só de um belo logotipo ou de um portfólio diferenciado, mas também uma lista de atributos que vão pautar suas escolhas, presença e ação no mundo dos projetos, propostas, clientes e, claro, orçamentos aprovados e depositados em sua conta.

No segundo artigo da série de rudimentos de gestão de marcas para Profissionais Freelancers, vamos atravessar a ponte entre a lista de atributos e sua manifestação real em seus atos. Não vou me cansar de dizer que esta série de artigos é um exercício livre, sem qualquer compromisso com teorias do famoso “Brand Management[bb]“. E talvez seja essa sua principal qualidade.

Poppy_in_hands
Creative Commons License photo credit: KITTYkat1235

Trabalhe sua postura

Quando você trabalha sua marca pessoal, é importante ter um coisa em mente: cada ação, ligação, e-mail, frase, job ou a escolha do job, soma pontos (ou subtrai) o valor “de mercado” que ela tem. É um processo contínuo, uma poupança forçada que, querendo você ou não, vai moldar aquilo que você representa para o mercado.

Quando falo em transformar em atos perceptíveis aquilo que você elegeu como seus atributos principais, vale lembrar, que de nada adiantará você investir em atos que não são tão afeitos a sua natureza, com risco de soarem falsos ou até mesmo oportunistas.

Outra: se a escolha de atributos é uma tarefa para ser encarada através de um sentimento de busca interna e não invenção vazia, os atos que você faz ao redor destes atributos devem ser ainda mais autênticos e verdadeiros.

Então de nada adianta você listar um atributo verdadeiro como, por exemplo, “o melhor ilustrador vetorial do mercado” se, em entrevistas para veículos de Design ou numa reunião para captação de um novo trabalho, você jurar de pés juntos que prefere trabalhar com retoque de imagens etc.

Alice ou não, espelho ou não, existe apenas um mundo: aquele onde mora o cliente que quer comprar rápido e ver mais rápido ainda pronto o job que contratou.

Welcome to the real world

Uma das maiores qualidades que uma marca pode possuir é fácil percepção. Lembra quando o Neil H. McElroy, lá da Procter & Gamble criou o tal memorando querendo montar um time para ajudar a criar diferenciação entre os produtos? Então, legal né? Só que, meu amigo, era 1931. Início do século. Século XX!

Deu para sacar a dificuldade que é manter um diferencial hoje em dia, com a quantidade de informação (e ferramentas para criá-la) que seus concorrentes têm?

A palavra de ordem é: consistência. Tenha sempre em mente que, como Profissional Freelancer, você não pára de trabalhar um só minuto. Quando não está realizando, está trabalhando em você mesmo.

Dicas para transformar atributos em atos

Para seguir adiante, vamos relembrar que atributos elegemos no primeiro artigo como fundamentais para nosso fotógrafo fictício. Ele elegeu como atributos principais:

  • A capacidade de olhar o mundo de forma diferente
  • Um senso de estética acima da média
  • Apuro técnico

Uma vez que assumiu estes atributos ele começou a pensar em como transformá-los em ações.

A primeira delas foi uma atitude radical: seu portfólio na internet não tem todas as suas fotos. Apenas uma por dia, a melhor de cada projeto e um link para envio de portfólio físico ou visita pessoal.

Estranho? Retrógrado? Nem tanto. O que nosso fotógrafo fictício pensou foi em uma postura mega-premium, alinhada com o atributo “senso estético acima da média”. Ele colocou na página “Sobre” de seu portfólio que:

Gostaria de mostrar meu trabalho pessoalmente e acredito que a melhor forma para isso é uma entrevista pessoal. Aqui no site você vê, a cada semana, a melhor foto de cada job. Para ver todas, ou ainda, me conhecer pessoalmente, é só agendar uma visita

Ousado ou não. Contra indicado ou não, nosso profissional conseguiu traduzir de maneira única uma postura séria e comprometida com o resultado final. Vai seu chamado para um projeto de fotos para folhetos de supermercado? Não. Registro de Casamentos? Provavelmente não.

Mas não é isso que ele está buscando.

Outra de suas atitudes foi investir em variedade de suportes e formatos, esmerando-se em baixar manuais de câmeras old-style e montar um set-up que conjugasse o melhor da tecnologia digital, com modelos mais antigos, para trabalhos específicos.

Assim, o apuro técnico, manifestou-se numa postura mais evoluída no que se refere à exposição as modas do momento.

Concluindo

Como tudo na vida, os atos que vão dar realidade palpável aos atributos de sua marca pessoal, são um exercício de escolhas. Se, como diz o ditado, “Cada escolha, uma perda”, a opção por materializar este ou aquele atributo, desta ou daquela forma, é, por definição, uma instância de forum íntimo.

Mas você precisa fazê-la.

Leitura sugerida

Antes de nosso próximo artigo, dê uma olhada no site Small Business Branding. Ele sempre tem dicas legais. Para acopanhar nosso texto, escolhi um artigo muito relevante sobre este tema: “5 tips to Brainding a Powerful Presence”

 

Em breve: Falamos de atributos, das manifestações destes atributos no mundo real e, agora, vamos dar uma rápida passada nas ferramentas que podemos escolher para divulgar estes atos. Não percam!