Irlandeses são as “cobaias” da novidade.

Um oceano de vídeos em tempo real ou tão curtos que em poucas horas desaparecem. Pois é amigos, bem vindos ao “snap way of life”. Surfando nessa onda, o Snapchat do Facebook chegou. A maior rede social do mundo está testando uma ferramenta que podemos chamar de “o snap do face” (que o Zuckerberg não nos ouça) tamanha a semelhança.

O Facebook justifica a sua iniciativa dizendo que os novos recursos de câmera tem o objetivo de proporcionar aos usuários a chance de “compartilhar momentos como eles acontecem e se expressar mais”. Esta ferramenta estará disponível no aplicativo principal do Facebook, porém, a inbox desta câmera é separada do Messenger, para que você possa fazer suas fotos e vídeos sem precisar estar conectado ao chat do Facebook.  Será que chegamos à era do textão em vídeo?

Mas, se você observar bem, ser visto tornou-se mais importante do que ver, sentir ou perceber o outro. E isso não é retórica. Essa é a realidade que nos cerca (quando não sufoca) com a enxurrada de checkins, mentions, alertas de grupo, marcação em fotos e tudo mais que mostre à você e ao mundo, o que pessoas comuns (e também as famosas, claro) estão fazendo no momento. Junte-se a isso as ferramentas de edição de imagem cujos efeitos acrescentam (ou retiram) detalhes que deixam as fotos e vídeos cada dia mais divertidos e temos a febre do momento: o Snapchat!

Seus vídeos editáveis das mais engraçadas formas, onde é possível mudar a voz, deformar o rosto, acrescentar orelhas, língua, olhos imensos e fazer uma infinidade de peripécias para que o seu “vídeo de Snap” bombe na rede são o que há de mais difundido no mundo geek narcisista.

Mas por que copiar o Snap?

Como é notório no mundo das redes sociais, o Snapchat caiu de vez no gosto da moçada que curte compartilhar momentos e fazer graça em frente à câmera do celular, porém, não é segredo para ninguém que Mark Zuckerberg já tentou por vezes adquirir o Snapchat (a exemplo do que fez com o Whatsapp), mas, diante das tentativas frustradas, restou à maior rede social do mundo fazer quase a mesma coisa com resultado similar (ou quem sabe melhor), mas de um jeito diferente: O jeito Facebook de ser.

Gostou? Então corra para o espelho e comece a ensaiar caras e bocas para os seus próximos vídeos via Face. E treine bastante, porque, no momento, essa brilhante e quase inovadora ideia está sendo testada apenas na Irlanda.

No mais, é aguardar essa moda chegar por aqui e pedir aos deuses do mundo virtual, muitos terabytes de bom senso por parte dos nossos facebookers brazucas, afinal, quem sabe no futuro, se nos redimirmos com o mestre Zuck, ele não volta atrás e diz que “Brazilian’s Facebook became cool again”?

É esperar para ver!

Beijo me clica!®