Esta semana, tive um prazer de fazer duas sessões da Mentorias da Sala101, este programa que nem foi ao ar ainda e eu já considero pacas. A primeira foi em uma segunda-feira corrida, tanto que ela está durando até hoje e só agora tive tempo de relatar os bastidores do papo. Mas, compensou. Seguindo a metodologia que apresentei neste post aqui, resolvemos olhar fundo das fortalezas e incertezas do meu primeiro aluno, o Iure Figueira.

O Iure é o cara que está me ajudando a moldar esse processo basicamente e, junto com o que ele denomina “emoção em participar”, sempre pintam umas sugestões bacanas. Neste sentido, eu havia proposto um desafio simples: olhar para o seu dia a dia de trabalho e encontrar 3 pontos fortes (as fortalezas) e 3 pontos que precisavam ser melhorados (as incertezas).

Após batermos um longo papo, chegamos os dois à mesma conclusão: ele falou 3 vezes a mesma coisa, só que de formas diferentes sobre o que precisa melhorar. E mais: após debatermos sobre isso ficou claro para mim que o ponto escolhido era outro ainda, que ele não conseguiu perceber. Aliás, tem a ver com percepção mesmo. É que tem uma hora que a gente – mesmo no começo – já trabalhou tanto e sonhou tanto que perdemos a noção do que já foi realizado. Quando apresentei a ele tudo o que ele tinha realizado em pouco tempo: rolou aquela sensação de “como não percebi isso antes?”, sabe? E, daí, consegui apresentar o que seria a minha visão para o seu ponto de melhoria fundamental. Mas, isso eu conto lá no programa quando dele for ao ar.

Porque logo na quarta-feira, também chamada de ontem, foi a vez de iniciar a primeira etapa com o Carlos Tiago, desenvolvedor do interior da Bahia. Ao apresentar a sua trajetória pessoal, ficou claro que ele se coloca na posição de quem gosta de pensar no fluxo de acontecimentos das coisas da vida. Tá, vou tentar ser menos filosófico: ele consegue medir – com razoável sucesso -, os desdobramentos de mercado que podem levar a sua atividade atual a ser um sucesso, ou um fracasso retumbante. No caso do Carlos, ele tem colecionado alguns sucessos, modestos ainda, mas no caminho certo.

Ou seja, conhecendo pessoas, tentando colaborar como dá e oferecendo uma visão de fora da vida particular de profissionais em crescimento, vou, aos poucos, dando forma a este projeto tão curioso em 2018.

Não, não sei onde vai dar. Mas vocês sabem onde me encontrar.