Ao final de cada gravação, um resumo de minhas impressões

Na última terça-feira (06/03) realizei a primeira sessão de mentoria do podcast Sala101. Caso você tenha chegado aqui agora, a ideia é simples: vou transformar o podcast em um encontro com leitores e ouvintes que queiram direcionamentos em suas trajetórias profissionais e pessoais. Não estamos falando de auto-ajuda, nem da venda de e-books inócuos e muito menos da tentativa de subir ao palco para se alimentar da luz dos holofotes. Apenas ajudar como quem não quer quase nada, sendo o quase, bom conteúdo para o feed do @falafreela. 😉

Até por isso, resolvi seguir um dos primeiros e maiores ensinamentos que a minha vida digital me ensinou: na dúvida, “vai lá e faz”. E fui lá e fiz, duas horas antes da pré-sessão começar, uma rápida apresentação para registrar a metodologia que pretendo seguir e o ritmo de gravações em que isso vai se dar. A ideia foi apresentar os valores, crenças e campo conceitual do projeto Carreirasolo.org e, em um segundo momento, a proposta da mentoria em si. Só para resumir, o slide central  está reproduzido abaixo:

Quatro horas, um problema, sua solução e os resultados

As Mentorias da Sala 101 envolvem quatro papos semanais, culminando com a proposta de solução para UM PONTO DE MELHORIA identificado em nossas sessões. Ou seja: simples, direto ao ponto e absolutamente processual e orgânico. Parafraseando o Chicó do Suassuna: “Não sei se isso é o melhor. Só sei que só sei fazer assim.” 😉 Sei que com tão pouco tempo seria arrogante tentar me colocar como um solucionador de tudo e todos. Antes, prefiro ajudar com alguma coisa. Com UMA coisa.

O grande barato desta primeira experiência foi ver como esta abordagem funciona lindamente. Sinceridade, transparência e organicidade, juntas, têm a capacidade de atingir diretamente o centro, o âmago de qualquer pensamento/pessoa de forma despretenciosa. A ideia das Mentorias é sobre isso: bater um papo e trocar um pouco da minha experiência, mas sem grandes arrogâncias.

Tive o prazer de iniciar com o Iure Figueira, designer de Volta Redonda (Rio de Janeiro), que me foi apresentado por um amigo em comum o Walter Mattos, que mantém uma produção de conteúdo sólida há alguns anos. Até por isso, ao ler a ementa do projeto, o Walter não titubeou de indicar este amigo. Sacou que eu precisava de gente que dividisse comigo a possibilidade de gerar este conteúdo. Ou, em outras palavras, que rendesse. E, olha, o papo inicial, que era só uma apresentação da dinâmica em si, já valeu por um programa inteiro. Este designer que também tem um negócio em sua cidade com a esposa, já indicou uma penca de livros, debateu comigo o estado atual dos empreendedores e muitas outras coisas.

Claro, este conteúdo você vai ficar conhecendo quando lançar o programa sobre sua trajetória. Eles devem começar a sair agora ao final de março ou início de abril. Até lá, vou divulgar a ideia, fazer as gravações dos já selecionados e lançar os primeiros programas. Tenho, portanto, bastante trabalho. Até por isso, neste clima de ajuda mútua que quero manter ativo por aqui, deixo esta primeiro “Notas da Mentoria”, com alguns pedidos:

É isso. Ou mais. Depende da gente.

Afinal, competindo somos bons. Mas colaborando somos ótimos.