Vejam só vocês como são as coisas. Estava eu em uma skype-call ontem quando um dos participantes, ao receber meu e-mail pelo chat comentou: “Carreirasolo? Ué, eu tenho meu perfil por lá há anos! Que coincidência!”

A página citada ainda existe (todas existem!) e era de 2008. O agora empreendedor de uma startup era, na época, um profissional iniciante. E isso me colocou para pensar mais uma vez e constatar que o bom da vida, bem, é que ela muda o tempo todo.

Por que estou dizendo isso? É porque temos uma “vÍrus” planejador que insiste em nos provar que tudo pode ser determinado por uma sequência racional de escolhas e passos que vamos dando um após o outro. Quando na verdade, não é bem assim.

A grande questão é que nunca sabemos em que um e-mail trocado hoje dará no futuro. Podemos apenas esperar o melhor, contar com o pior e realizar o factível. Mas tudo o mais é apenas a certeza de que a vida é boa porque muda o tempo todo.

Próxima saída à esquerda.

Senão, vejamos o meu próprio exemplo. Na mesma época em que cadastrei este post, era Gerente de Conteúdo em uma produtora, em uma fase em que transitava por mídias tão diferentes quanto a TV, o DVD e a Web (boa e velha companheira de sempre). Tinha um plano de utilizar aquela passagem como um acelerador de networking em uma grande rede de TV. E ponto.

Que nada, e vírgula. Pouco mais de um ano, estaria assumindo de vez a Contém Conteúdo, estruturando equipe, viajando para lá e para cá para apresentar e fechar os primeiros contratos e encarando a pedreira que é, às vezes, ser dono do próprio nariz.

Foi a experiência junto a uma estrela da TV que me fez organizar a empresa com alguma facilidade (alguma, não muita)? Não. Foi outra experiência, esta de 2003, junto a um gerente de uma grande estatal. Por ali aprendi a fazer apresentações melhores, ouvir parceiros de negócios e negociar em escala nacional.

Não, eu não havia planejado isso. Apenas vivi da melhor forma possível estas fases e procurei aprender todos os dias. Porque eles são únicos, ora bolas.

Enfim, de todas as montanhas-russas que já embarquei desde então, apenas uma certeza: a de que contar boas histórias é minha vocação e que devo adaptá-la aquilo que o mercado pede de tempos em tempos. Simples assim.

Mas este pensamento nunca vem de graça. Aliás, veio para você. Para mim veio aos poucos, errando aqui e ali, de redator em agência de propaganda, arquiteto de informação, gerente de conteúdo a empreendedor, pai, marido, etc.

A vida é boa porque muda o tempo todo. Olhar para trás e consequentemente impedir esta avalanche de mudanças, vai apenas impedir, em resumo, que a vida lhe ofereça o que ela tem de melhor.

E aí, pronto para deixar a vida mudar hoje?