Falafreela! Tudo bem? A carreira solo é algo fascinante que proporciona muitas oportunidades de crescimento. O termo é utilizado geralmente para designar um artista (músico ou cantor) que após ter vivenciado uma experiência em uma banda, decide trilhar sozinho o seu caminho, assumindo totalmente a responsabilidade de sua carreira artística.

O termo ilustra perfeitamente a realidade do freelancer, um profissional solo.
Em uma banda, o trabalho em grupo nem sempre é um problema e teoricamente muitas coisas funcionam melhor. Quando se trabalha em grupo todos estão envolvidos em tarefas como ensaios, composições, arranjos musicais e assim o resultado final é enriquecido pela bagagem cultural e história de vida de cada integrante.

Outro ponto importante é que em uma banda é possível dividir as responsabilidades, por exemplo, enquanto um tenta agendar um show, outro cuida da divulgação e ainda administra a gravação no estúdio.

Mas se tudo é tão lindo e maravilhoso, então o que motiva alguém largar toda essa estrutura e segurança para se aventurar em uma carreira solo? Sou capaz de apostar a discografia do Ozzy Osbourne que o principal motivo que leva um artista ou um profissional seguir sozinho é a independência criativa.

O integrante de uma banda transmite o coletivo, mesmo que o vocalista seja muito carismático ele não esta sozinho ele depende da banda, já o artista solo expressa sua arte ainda que acompanhado por outros músicos.

A liberdade tem seu preço. Topa pagar?

A liberdade tem seu preço. Topa pagar?

A independência criativa é uma oportunidade que se conquista para deixar a sua marca, validar suas ideias e provar sua capacidade. É sair da zona de conforto e entrar em território desconhecido. É ter liberdade para criar, responsabilidade para arriscar e coragem para aprender com os erros. Essas atitudes produzem inovação.

Sim, é possível conquistar a independência criativa de forma coletiva, se essa afirmação estivesse errada não existiria os Beatles (que em minha humilde opinião é uma banda formada por quatro gênios da música), entretanto, nem todas as bandas, ou nem todas as empresas oferecem um ambiente propício para que ela possa existir.

Ser freelancer também não garante a conquista dessa independência, pois na maioria das vezes temos que negociar com nossos clientes.
Para conquistar a independência criativa é necessário aprimorar a forma de pensar e de observar, ser capaz de ter ideias inovadoras, acreditar nelas e saber defende-las.

E você já conquistou sua independência criativa? Compartilhe suas ideias conosco!