Acontece nas melhores famílias. Seja porque foi com a cara do freguês, seja para fazer uma média com o cliente, por ter uma vaga certeza de que pode ganhar, ou até mesmo, por acreditar no produto/idéia/pessoa que você vai “vender”; ninguém está livre de dizer sim para a famosa pergunta:

Você aceita participar de uma concorrência inteiramente no risco?

Você aceita. A boa notícia é quem mesmo depois de concordado, você pode se resguardar, evitando ver seu trabalho utilizado para outro cliente, garantindo um “fee” mínimo para pagar pelo menos seus custos fixos e, até mesmo, negociar futuros projetos e/ou indicações como pagamento indireto. Tudo vai depender do seu poder de negociação e principalmente da sua capacidade de entender que o risco maior é sempre do cliente e não o seu.

Garantindo o ir e vir.

Das vezes que aceitei, tratei de reservar pelo menos um pixulé para evitar que eu pagasse para trabalhar. Tipo uma reserva mínima baseada em sua hora-trabalho que cubra deslocamentos e viradas.

  • Esta idéia se auto-destruirá em uma apresentação. Outra coisa, mais difícil, é tentar evitar que a criação desenvolvida para você não seja reciclada para outra oportunidade ou, até mesmo, para clientes da casa. Acontece, acreditem. Claro que se você foi sondado E PAGO para isso, sem problemas. Uma saída é deixar claro nas propostas que o trabalho foi desenvolvido exclusivamente para cliente tal para campanha tal, assim, asssado.
  • Ficou para uma próxima oportunidade. Você vai ouvir muito isso ainda. A gente não consegue ganhar todas mesmo. A boa notícia é que este pode ser um bom momento para amarrar futuras propostas e contatos. Aproveite para saber como foi recebido seu trabalho pela agência e até mesmo pelo cliente quando possível. Demonstre um profissionalismo básico, sem mágoas mas com vontade de melhorar sempre.
  • Parabéns. Levamos! Aí é só alegria. Mas para esta alegria não terminar quando você gatar o último centavo da fortuna que você orçou para uma concorrência sem prazo, aproveite para sondar quem vai atendera a conta, agora que ela está na agência. Acontece que você acabou ficando íntimo do produto, sabe um bocado do cliente….porque não? Às vezes cola.

Onde acontece

Tem cliente/conta mais suscetível a trabalhar por este método. Na verdade nem é o cliente que prefere, são as agências e produtoras web cada vez mais enxutas que vira e mexe optam por montar “forças-tarefa” de ocasião. Normalmente isso acontece quando

  • A concorrência é para governo
  • A famosa campanha de inverno dos shoppings
  • Lançamento de um novo produto
  • Campanhas Políticas
  • A agência não encara a dura realidade de não ter equipe
  • A agência está com a equipe toda alocada e precisa de gente a mais
  • Todas as anteriores.

Duas para terminar.

A vida de freela está começando agora, você está doido para aumentar seu portfolio? Aceite. Está precisando de grana rápida? Evite.