Que momento lindo: depois da última dança da festa junina, da última prova e das mensalidades da escola devidamente pagas (ui!), as crianças estão de férias. E daí você acorda numa segunda-feira e quando liga a máquina sente aquela cutucadinha no seu braço: “Vem brincar”

O que fazer quando o profissional alocado em sua toca, cercado de seus afazeres, se vê alvo das súplicas dos pequenos por atenção e passeios? Julho é um mês crucial: ao mesmo tempo em que o mercado se aquece, as crianças precisam ir ao cinema, ao parque, à casa dos amigos, nas avós!

E mais: se é verdade que a família precisa respeitar o espaço de trabalho do Profissional Freelancer, não podemos esquecer que 90% de suas atividades são assim desempenhadas para que eles tenham conforto, cresçam saudáveis e…de preferência…em sua companhia.

Um paradoxo e tanto, não? Você precisa trabalhar, mas trabalha em casa para ficar mais com eles. Como resolver? Seguem algumas dicas:

  • Traga a turma para seu espaço. É comum nas férias do meio do ano, os pequenos trazerem alguns trabalinhos pra casa. Porque não incluir a confecção de algumas dessas folinhas com a primeira hora ou hora e mais de sua atividade diária? Ao mesmo tempo em que fazem suas tarefas, as crianças se enturmam com seu espaço, com o “trabalho do papai ou da mamãe”.
  • Vá ao espaço delas. No episódio 31 do FalaFreela, nosso podcast, salientamos que é fundamental que o Profissional Freelancer tenha um tempinho para fazer micro pausas ou descompressões diárias. Porque não conciliar a hora do almoço, por exemplo, com uma volta no parque da cidade? Um mate na casa de sucos mais próxima?
  • Divida-se com sabedoria. Muito do que fazemos nesse momento, nos gera um pequeno remorso. “Droga, eu aqui e a turma toda lá longe, ou nada casa da avó.”. Use a sabedoria para dividir-se. Assista o início de um DVD e, quando entretidas estiverem, dê uma escapada e produza por mais uma hora. Leve a turma a casa dos amigos, marcando a hora de voltar e participar mais um pouco.
  • Jogue limpo e com regras claras. Nada fere mais a inocência das crianças do que roubar no jogo. Se você estabelecer regras claras, inclusive salientando que de 9h às 12h você realmente tem que terminar aquela tarefa, ela tem mais chance de ser cumprida. Agora, se na noite anterior você, com receio de ferir essa ou aquela suscetibilidade, afirmar que não terá nada o que fazer no dia seguinte e acordar trabalhando que nem um louco, prepare-se para não conseguir.
  • “Família que trabalha unida…”. Não custa lembrar também, com as palavras certas, sobre a importância do trabalho para a vida da família. Valorize o seu afazer como o ou um dos provedores do conforto e que, se todos colaborarem. todos tem a ganhar.

Agindo sempre depois de pensar

Respire fundo, pois existe a chace das coisas não funcionarem como planejado. Lembre-se que estamos falando de duas semanas, três no máximo. Tempo que para uma mente infantil beira a eterninade. E para a sua, também, se tomar uma decisão ou tiver uma reação da qual se arrependerá.

Família que trabalha unida…