marcoterra.gif Marco é o idealizador do Publicijobs. Só por isso, ele já teria lugar garantido aqui na Galerasolo. Contudo, a experiência desse agitado empreendedor vale por mil imagens. Só para vocês terem uma idéia, ao falar de calote, nosso amigo já deixou quatro dicas importantíssimas. E, ao falar do Publicijobs, conceituou como ninguém a questão de formação de comunidades, mais ou menos o que fazemos aqui: dividir o que se tem, para multiplicar o conhecimento de todos. Por isso estou trazendo-o para nossa turma, com uma entrevista caprichada, com direito à palinha sobre seu site de oportunidades de trabalho (que é sucesso absoluto entre os publiças do Brasil, com mais de 10mil visitas mensais) e muito, mas muito mesmo, a somar nessa vida de freela. Confiram

1.Nome: Marco Aurélio Terra

2.Atividade: Projetos de comunicação

3.Entrou para essa vida em:
1998, depois de meu primeiro estágio. Estagiei numa grande multinacional, com verbas absurdas de marketing, nome no mercado e tudo que tinha direito. Fiquei um tanto decepcionado, devo confessar ao descobrir que o mundo não era azul. Neste momento, algo dentro de mim disse que pelo menos uma parte de mim tem que trabalhar apenas pra mim, sempre. Este é meu lado freela.

4.Como?
Comecei a aplicar as coisas que aprendia na faculdade em pequenos negócios ou lugares que participava no meu cotidiano, como a academia que eu fazia por exemplo. Já nesta época eu percebi como existe carência por profissionais de comunicação, e ironicamente, como temos tantos por aí desempregados. Percebi que uma forma de passar por cima deste desencontro era fazendo freelas. O meu primeiro trabalho free que teve um impacto maior foi o site www.rosaterra.com.br . Em 1998 estar na web era pra poucos e foi por aí que eu resolvi começar.

5. Tem firma legalizada?
Não tenho firma legalizada em meu nome ainda, porém meu sócio tem, então meu trabalho é legalizado.

6.Dedica-se totalmente ou é freela “meio-expediente”?
Atualmente, como saí do meu último emprego, estou 100% dedicado aos freelas.

7. Como aborda e prospecta clientes?
Acho que abordar e prospectar clientes é meu ponto forte. Eu tenho muita credibilidade junto aos meus clientes que atribuo a dois fatores principais: Eu sou muito honesto em minhas opiniões profissionais e muito ético na realização do meu trabalho. Se eu acho que não vai ficar bom eu digo, e nunca tento vender algo que um cliente não precise mesmo. Faço cada projeto como se fosse para mim, e acredito mesmo que não deixa de ser. Obtenho os melhores resultados na conversa pessoal, no cara a cara. Transmito muita segurança aos clientes, acho isso essencial.

8.Costuma formalizar propostas?
Costumo e acho essencial. Nesta área o que não falta é história triste. Principalmente aqui no Brasil, onde informalidade, em muitos casos infelizmente, é certeza de calote. Infelizmente muitos clientes consideram que ele vai pagar se quiser um job sem contrato … E muito cara de pau não paga mesmo. Além do mais tem a questão da “escalada”; o cara te pede x, e no decorrer do projeto ele pede mais y, w e z. Quando não se tem nada que demonstre o que foi combinado no início, a encrenca é certa, pois você não tem como provar o que foi pedido, ou mesmo limites bem definidos para o projeto. Uma proposta formal ajuda muito nestes casos e não precisa muito: basta uma folha de papel dizendo o que você vai fazer, por quanto e em quanto tempo. Dica da Harvard Business School: Coloque no papel também, o que você não vai fazer. Você não tem idéia como isso ajuda!

9. Qual foi o pior calote?
Estava estudando na Unesp, no interior de São Paulo, e comecei a me destacar no mercado de comunicação para eventos. No interior, onde se tem pouco à anunciar, vendas de cerveja em bares e shows movimentam um volume interessante de negócios. Estava tendo um crescimento lento porém sólido, e meu nome já estava bem cotado no mercado. Foi quando apareceu duas baianas de família rica, com o contrato de 4 bandas para fazer um show sem precedentes na cidade [Engenheiros do Hawaii, Dazaranha, Maskavo e O Surto], e os respectivos sinais já haviam sido pagos. Fui chamado para fazer a campanha toda, para fazer acontecer todo processo de comunicação do evento, e assim o fiz: divulgação para várias cidades da região em Rádio, Internet, Planfletos e Cartazes, Camisetas, Outdoor, Blitz de Modelos e inclusive anúncios na Rede Globo regional. Executei todas as etapas, e não percebi problemas à medida que a cada necessidade financeira, o dinheiro vinha na hora [e encarar uma globo não é brincadeira! Pelo número de inserções, a verba foi de R$ 30.000 à vista!].

Quatro dias antes do show, o evento tinha “criado vida”, tinham excursões vindas de fora da cidade, tudo estava parado para ver o show. A venda antecipada de ingressos já tinha batido mais de R$ 50.000 reais e pelas estatísticas mais de 15.000 pessoas estavam se movimentando para o evento. Acontece que as donzelas simplesmente não pagaram os 90% restantes de cada banda, nem o som nem os outros fornecedores, inclusive eu. Pegaram a grana e fugiram para a Bahia no dia do show. Redirecionaram todos os processos jurídicos à um laranja qualquer e pronto: as pessoas ficaram sem show, quebraram tudo, roubaram as bebidas, quebraram ônibus … O maior show que aconteceria na cidade [e de fato aconteceu pelo rendimento, público e presença das bandas, que estavam na cidade] simplesmente não se realizou.

As conseqüências foram desastrosas. Muita gente já estava me procurando, o trabalho de comunicação tinha sido muito bem sucedido, segundo as pessoas deste mercado. Seria este o impulso para trabalhos muito interessantes na minha carreira. Ao contrário disso, tive minha imagem arranhada, e meu nome atrelado à pessoas fora da lei. Neste dia, aprendi diversas coisas, que passo aqui com muito prazer:

Nunca subestime o poder das comunicações. Esta profissão é a que pode te por pra baixo mais rápido, e também é a que pode te erguer mais rápido.
Não entre em projetos em que as regras não estejam bem definidas. Eles podem até dar certo em alguns casos, mas certamente você vai ter história triste pra contar.

Não tente tomar nenhum atalho, nem dar o passo maior que a perna. Se você não tiver estrutura para fazer bem um trabalho, não o faça. Se o seu nome for queimado, vai te custar um bocado recuperar. E dependendo de onde você se meter, você vai preferir não ter nascido, vai por mim. Mas faça a coisa certa na hora certa e você está feito.

Não trabalhe de graça. Se quiser fazer seu trabalho aparecer, entre em concursos de criação ou faça trabalho voluntário. Trabalhar pra algum ‘esperto’ gosta da idéia de recrutar trabalho escravo, no bojo, vai te somar pouco. Muita gente discorda disso, mas eu acredito piamente que, em 90% dos casos, você só vai é ser explorado mesmo e o que vai aprender mesmo, é que não valeu muito a pena ter dado seu melhor na faixa.

Nunca desista. Se é isso que você que fazer, lute com paixão. Estude um bocado, e vá atrás de conhecer as pessoas certas. Se dedique muito e fique atento às oportunidades. Nunca deixe uma boa oportunidade escapar, pois ela pode não pintar novamente. Mas não se esqueça que a oportunidade só é boa quando está tudo certinho …

10. O projeto ideal, como seria?
Envolve uma proposta inovadora e criativa [algo que nunca foi feito], terá o impacto de mudar as coisas como elas são hoje [tal como foi a internet], envolve pessoas motivadas e sincronizadas entre si, e o processo de realização deste trabalho agrega um conhecimento único e valioso a quem participou.

11.Indicaria de olhos fechados:
Dickmans Design inteira. Só tem gente fera lá!

Jonattas “Neuromancer” – Um dos melhores ilustradores que conheço: faz layout, ilustração, animações em flash e 3d, assovia e chupa cana. Nota 10!

Régis Frias – Outro designer de primeira linha, faz trabalhos muito bons!. Veja seu site

Marcelo Osni – Profissional de TI, administra projetos de tecnologia e programa em ASP. De quebra ainda é dono do site de recursos humanos www.infojob.com.br

Mauro Kioshi – Um dos melhores médicos que eu conheço. Ele é uma dessas pessoas que tem o algo mais!

Débora R. – A melhor relações públicas que eu conheço! Eis uma pessoa que eu adoraria contratar, uma profissional nota 10 e muito, mas muito divertida!

12. Conte-nos sobre o Publicijobs!
O www.publicijobs.blogspot.com tem uma história interessante. Como muitos estudantes de publicidade e marketing, eu passei por longos períodos engrossando a fila do desemprego em busca de algo decente para trabalhar. Com o tempo, eu fui aprendendo mais e mais sobre a”arte” de encontrar oportunidades na internet. Um dia, uma questão estratégica me ocorreu: Uma grande adversidade pode se tornar também uma grande oportunidade; assim sendo, resolvi reverter os papéis e criei um blog, onde passei a divulgar as vagas que encontrava, porém focado na área de propaganda e marketing somente. Logo no terceiro dia tive mais de 100 acessos. No primeiro mês 1000, no segundo 5500, aí não parou mais. Quando eu percebi que este trabalho estava acontecendo de fato, fui logo pesquisar quais eram as causas de seu sucesso inesperado:

1- A ausência completa de um veículo que divulgasse vagas para um nicho específico, no caso para área de comunicação voltada á propaganda e marketing [bem específico!]. Todos os serviços que divulgavam vagas na área não tinham esta tarefa como seu objetivo principal. O publicijobs caiu como uma luva nesta lacuna.

2 – Ele é de graça. Eu vejo o fato de cobrar por vagas de quem precisa de emprego é semelhante à vender comida para esfomeados na somália, ou água para quem está a morrer de sede no deserto. Obviamente a pessoa precisa do serviço, mas sua condição natural sugere que ela não tem recursos disponíveis. Sou a favor da informação livre e acho que tanto a empresa quanto o candidato ganham muito com isso. Sites no modelo gratuito para a empresa e o candidato costumam ser um sucesso, veja por exemplo o www.clickjobs.com.br . É uma referência no mercado e é na faixa. Hoje estou estudando formas de obter um rendimento com este site da forma que o mesmo se mantenha sozinho: ou vendê-lo à um portal [claro que mantendo as características primordiais], ou um sistema de propaganda PPC. O planejamento é que ele comece a render após o primeiro ano de vida.

3 – O publicijobs é uma comunidade proto-cooperativa. A alta competitividade do mundo moderno leva as pessoas a ter um comportamento protecionista muitas vezes, e até agressivo em relação à sociedade que a cerca. E a concorrência direta por uma vaga então! Parece briga de foice. Se fosse permitido matar os concorrentes de uma vaga, veríamos muitas mortes todos os dias! Mais uma vez fui contra a corrente e apliquei o princípio da proto-cooperação: Uma vez vi uma entrevista com um pesquisador de macacos; ele dizia que o macaco que dividia as bananas que encontrava, a despeito de ter menos comida, sobrevivia mais que o macaco que não dividia; pensei numa forma e resolvi aplicar este principio da proto-cooperação no publicijobs.

Imagine só que você esteja rastreando a web em busca de vagas. Ao encontrar um veículo que as divulgue, certamente encontrará aquelas que vão ao encontro de seu perfil, e outras que não. Você é homem e a vaga procura mulher; você é de BH e a vaga é pra São Paulo; Você é Mídia e a vaga pede Marketing … O primeiro instinto é que a pessoa pegue a vaga que a interesse e vá embora, como o macaco que não divide as bananas. A proposta do publicijobs é que você pegue as vagas que não te interessem diretamente e mande para a comunidade; fica fácil entender porque o macaco que divide as bananas sobrevive: um dia ele come só um pedacinho da banana que encontra uma vez que divide com todos, mas todos os dias tem alguém dividindo as bananas com ele também. Temos ótimos colaboradores [Íris, Mariana Bueno, Mayer, Sara] que divulgam vagas regularmente, e dezenas de outras pessoas que divulgam vagas esporadicamente. Estas pessoas entenderam que uma comunidade que se ajuda, vai pra frente e que a proto-ajuda traz mais benefícios que a auto- ajuda neste caso.

13. Espaço livre

Minhas atribuições você encontra em: http://geocities.yahoo.com.br/markoneez/

Se você quer bater um papo informal, meu msn é: markoneez@hotmail.com
Eu trabalho com projetos de comunicação: Sites, Hotsites, Campanhas on-line e também offline. Meu grande valor é estar associado a grandes profissionais e saber encaixa-los no contexto certo, organizando o trabalho da equipe e fazendo os projetos acontecerem.

Se você tem uma necessidade de comunicação na sua empresa e precisa fazê-la acontecer, mande um email para newterra@terra.com.br ou ligue para [11] 9813-2759.

Se você é um frila assumido, se dá bem no que faz e gosta de trabalhar em equipe, entre em contato comigo pelo email marco.terra@gmail.com e faça parte do meu network. Você entra na parte do “meu grande valor é estar associado a grandes profissionais”.

Se você quer um emprego na área, vá ao www.publicijobs.blogspot.com

Se você quer ser um ótimo freela, fique de olho no Carreirasolo!