A nossa editora Carol Vigna-Marú levantou uma boa questão aos nove minutos do episódio #68 do FalaFreela (Bom dia, boa tarde e boa noite) sobre a minha organização de tarefas levando em consideração o meu relógio biológico e eu achei melhor explorar mais essa questão por aqui.

Simplificando o trecho do podcast, eu estava respondendo a pergunta do Mauro sobre qual era o meu horário mais produtivo, e eu disse que era o período da tarde, e complementei dizendo que eu faço demandas mais chatas de manhã, horário em que eu sou menos produtivo. Por conta dessa resposta a Carol perguntou se isso não era uma contradição, pois já que eu sou menos produtivo de manhã, como podia alocar tarefas mais chatas para esse horário!?

Eu deixo o player dessa edição do podcast para vocês ouvirem e ficarem por dentro do tema, mas vou tentar contextualizar melhor o meu argumento.

Identificando o meu relógio biológico

Eu sou freelancer há quase cinco anos e com o passar do tempo eu fui percebendo como era o meu perfil. Vi que em cada horário eu tinha um ritmo diferente e me adequava para determinadas tarefas de acordo com cada turno.

Então, só para deixar claro, o termo mais adequado para o meu perfil é:

  • Pela manhã eu sou burocrático;
  • De tarde eu sou repetitivo;
  • E de noite eu sou criativo.

Esse é o meu ritmo! Vamos então entender como eu atuo em cada um desses turnos.

Seja mais produtivo respeitando o seu relógio biológico

Começando o dia beeeeeem lentamente, ou não!

No horário da manhã eu sou burocrático. Mais ainda sim, eu consigo ser produtivo porque eu aloco tarefas que não exijam tanto esforço para eu fazê-las. Por exemplo, responder todos os e-mails da minha mailbox é uma delas. Como eu vou dormir sempre com a caixa de e-mail “zerada”, pela manhã eu tenho algo em torno de 20 e-mails, e na sua maioria são e-mails de notificação. Dificilmente é e-mail de clientes, pois eles costumam chegar perto do horário do meio-dia.

Eu sou produtivo pela manhã. No entanto, as tarefas

que eu faço nesse horário são compatíveis com o meu ritmo.Em geral, eu acordo às 6h da manhã, arrumo os meus filhos e os levo para escola. Na volta, eu tomo meu café e lá pelas 8h estou no computador e inicio o meu expediente. “Passo o olho” em todos os títulos de postagem no meu Google Reader e marco com “estrela” os artigos que vou ler com calma depois. Arquivo os que eu li completamente nas devidas tags, encaminho para o Evernote os que poderão ser usados num futuro artigo e esse processo termina em torno das 9:30h.

Essa explicação certamente responde a pergunta da Carol e como vocês puderam perceber, eu sou produtivo pela manhã. No entanto, as tarefas que eu faço nesse horário são compatíveis com o meu ritmo, e por mais volume que possa haver (afinal eu assino mais de 200 feeds RSS) eu sempre dou conta do recado.

Tarefas repetitivas depois do almoço

Na Espanha, é comum os estabelecimentos fecharem durante o almoço. Esse hábito é conhecido como “La Siesta! E muita gente no aqui no Brasil também gosta de “tirar um cochilo” depois do almoço. É comum acompanhar nas “timelines” das redes sociais a galera postando frases do tipo “#comofaz para não bater a cabeça no teclado depois dessa feijoada gente?“. Eu não.

Depois do almoço eu estou sempre “pilhado”, e aproveito para trabalhar em demandas repetitivas como recortar/tratar inúmeras imagens para ilustrar nos sites que eu faço, inserir conteúdos novos que os clientes me enviam semanalmente, enviar proposta de orçamentos (só faço nesse horário!!!) entre outras.

A mente viaja no horário do ócio criativo

E depois que o filhotes já brincaram bastante aqui em casa, o telefone comercial parou de tocar, é hora de criar. À noite é o meu horário preferido para trabalhar na criação de layouts. Como tudo está mais calmo e eu encerrei o atendimento aos meus clientes, é depois das 19h que o Photoshop fica mais feliz e eu crio as melhores peças.

Como eu disse no cast, criar um layout é um processo que exige que eu não faça interrupções e é comum eu dar um “esticada” para finalizar uma determinada ideia. Por isso, quando possível, eu escolho bem o dia que trabalharei na criação. Levo em consideração como será o meu dia seguinte e se poderei ir dormir 2h ou 3h da manhã sem comprometer a qualidade do meu trabalho na manhã seguinte.

Não tem receita de bolo

Como tudo na vida, para ser produtivo usando o relógio biológico não existe fórmulas, e sim técnicas e muita sensibilidade. É preciso ter senso crítico para escolher o melhor horário para fazer a sua demanda. Isso leva tempo para a gente saber fazer, mas acima de tudo é fundamental que haja respeito pelo seu ritmo, profissionalismo e comprometimento.

E vocês como se organizam? Contem nos comentários e vamos trocar experiências de produtividade.

zp8497586rq